Home

Quem Somos?

Somos uma Sociedade Científica onde todos os Especialistas em Patologia Clínica e todos os Internos da Formação Específica de Patologia Clínica podem encontrar um fórum de discussão aberta sobre os mais diversos aspetos científicos que são abrangidos pela nossa Especialidade.

Quer ser sócio da SPPC?

Clique no botão

Eventos SPPC

SPPC 2022

O Ciclo Anual de Formação da SPPC (SPPC 2022), que se iniciou em Abril, terminará em Dezembro.

Será composto por: 10 webinars, um curso presencial com o tema “O HEMOGRAMA E A CITOMORFOLOGIA NO DIAGNÓSTICO HEMATOLÓGICO” e um concurso de fotografia.

Para saber mais clique no botão abaixo.

XII Congresso Nacional de Patologia Clínica

Para mais informações: congresso.sppc@eventosbyt.pt

SPPC 2021

O Ciclo Anual de Formação da SPPC (SPPC 2021),  contou com 20 webinars, e um curso online com 6 módulos e mais de 14 horas de formação.

A SPPC 2021 terminou em Dezembro, mas está aqui agora disponível para os sócios da SPPC.

Clique abaixo para revisitar todos os webinars.

Bolsa de Formação
Prof. Doutor Germano de Sousa

A SPPC vai este ano atribuir pela primeira vez a Bolsa de Formação Prof. Doutor Germano de Sousa.

As candidaturas devem ser enviadas entre Outubro de 2022 e Janeiro de 2023.

Podem concorrer, internos da especialidade de Patologia Clínica e jovens especialistas até dois anos após conclusão da especialidade

Protocolo SPPC | FCBM

A SPPC, centrada na sua missão de formação contínua e promoção da excelência científica, congratula-se de poder anunciar neste momento o protocolo estabelecido com a FCBM para o ano de 2022.

Recomendação da Sociedade Portuguesa de Patologia Clínica

Núcleo de Imunologia

Serologia anti-SARS-CoV-2 / Pesquisa de anticorpos anti-SARS-CoV-2

A vacinação que decorre em território nacional coloca desafios importantes aos laboratórios de Patologia Clínica que fazem o despiste da presença de anticorpos anti SARS-CoV-2.

A resposta imunológica decorrente da infeção é composta por anticorpos que reconhecem os epitopos imunogénicos do vírus.

Até agora os reagentes disponíveis no mercado permitiam detetar essa resposta imunológica, quer utilizassem como antigénios as proteínas do domínio Spike (S1 e/ou S2), quer as do domínio da nucleocápside (N).

Com a vacinação e a decorrente resposta à estimulação antigénica por partículas da proteína S (Spike), proteína esta responsável pela ligação do vírus ao recetor de membrana ACE2 na célula hospedeira, surge a necessidade de detetar os anticorpos neutralizantes resultantes da imunização.

A Sociedade Portuguesa de Patologia Clínica (SPPC) e o seu núcleo de Imunologia recomenda que os laboratórios de Patologia Clínica utilizem reagentes que permitam a deteção de anticorpos neutralizantes anti-proteína viral S (Spike) do SARS-CoV-2.

Acresce que é também imperativo que os laboratórios façam evidência da metodologia utilizada, bem como as caraterísticas do antigénio presente nos reagentes usados para o efeito.

Últimas Notícias