MIELOMA MÚLTIPLO, ACHADO LABORATORIAL?

Evento: X Congresso Nacional de Patologia Clínica

Poster Exposto: 13

Autor do trabalho: Ana Luísa Araújo

Serviço de Patologia Clínica – Centro Hospitalar do Médio Ave – Famalicão

Co-autores do trabalho: Carla Gonçalves Ferreira; Ezequiel Moreira; Helena Ferreira da Silva

Palavras-chave: mieloma múltiplo; fenomeno de rouleaux; plasmócitos periféricos

Introdução:

O mieloma múltiplo é uma patologia maligna das células plasmáticas da medula óssea e representa cerca de 1% do total de neoplasias. As células plasmáticas, ou plasmócitos, correspondem a linfócitos B diferenciados, responsáveis pela produção de imunoglobulinas. Esta doença carateriza-se pela proliferação e expansão clonal de plasmócitos anormais, dando origem à produção de uma proteína monoclonal. O diagnóstico é realizado pela presença de, pelo menos, 10% de células plasmáticas clonais na medula óssea; componente monoclonal sérico e/ou urinário e lesão orgão-alvo, sugerido pela presença de hipercalcemia, insuficiência renal, anemia e lesões ósseas (CRAB).

Caso Clínico:

Homem, 82 anos, caucasiano, com antecedentes de hipertensão arterial e dislipidemia, cognitivamente íntegro e autónomo. Recorre ao serviço de urgência por quadro de prostração, desorientação, disartria e discurso incoerente, de instalação progressiva ao longo de uma semana.

Analiticamente apresentava lesão renal e anemia normocítica e normocrómica. No gráfico de dispersão de leucócitos, foram observadas discretas alterações, levando à realização de uma extensão de sangue periférico, onde se observou acentuado empilhamento eritrocitário (fenómeno de Rouleaux) e raros plasmócitos periféricos. Assim, por iniciativa do patologista clínico, foi realizado estudo subsequente que revelou hiperproteinemia e hipercalcemia. Estes achados motivaram a realização do doseamento das imunoglobulinas (Ig), o que evidenciou um aumento de IgG e das cadeias leves lambda. No exame radiológico evidenciava-se padrão salt and pepper craniano e fratura patológica de vértebra dorsal. Perante os resultados, o doente é transferido para o centro hospitalar de referência, para continuação de cuidados e realização de exames complementares de diagnóstico, como eletroforese e imunofixação de proteínas séricas, que evidenciaram um pico monoclonal IgG lambda na região gama.

Conclusão:

O mieloma múltiplo é uma doença pouco frequente, afetando cerca de 4 a 5 pessoas, por 100.000, por ano. Apresenta uma incidência superior em indivíduos do sexo masculino e é mais frequente a partir dos 60 anos de idade. Com este caso, pretendemos demonstrar a importância da Patologia Clínica na orientação diagnóstica destes doentes, com apresentação clínica pouco sugestiva da patologia, num hospital periférico.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these <abbr title="HyperText Markup Language">HTML</abbr> tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*