AVALIAÇÃO DE DIFERENTES MÉTODOS FENOTÍPICOS DE ESTUDO DA SUSCETIBILIDADE AOS Β-LACTÂMICOS EM STAPHYLOCOCCUS SAPROPHYTICUS

AVALIAÇÃO DE DIFERENTES MÉTODOS FENOTÍPICOS DE ESTUDO DA SUSCETIBILIDADE AOS Β-LACTÂMICOS EM STAPHYLOCOCCUS SAPROPHYTICUS

Evento: SPPC 2021

Poster Número: 014

Autores e Afiliações:

Gizela Pontes, Hugo Cruz, Maria Helena Ramos

Serviço de Microbiologia, Departamento de Patologia, Centro Hospitalar Universitário do Porto (CHUPorto)

Introdução

Staphylococcus saprophyticus (S. saprophyticus) é uma das principais causas de infeções do trato urinário (ITU) não complicadas em mulheres jovens sexualmente ativas. Atualmente acredita-se que S. saprophyticus mantém a suscetibilidade à maioria dos agentes antimicrobianos utilizados na terapêutica das ITU, porém os dados sobre a resistência antimicrobiana aos β-lactâmicos permanecem relativamente escassos.

Objetivos e Metodologia

O objetivo deste estudo foi avaliar diferentes métodos fenotípicos de estudo da suscetibilidade aos β-lactâmicos em S. saprophyticus. As estirpes foram identificadas através do método de difusão em gelose com disco de novobiocina 5 µg. O estudo da suscetibilidade aos β-lactâmicos foi efetuado através do método de difusão em gelose com disco de ampicilina 2 µg e de cefoxitina 30 µg, e os halos de inibição foram interpretados de acordo com os breakpoints clínicos do EUCAST 2021. A deteção de β-lactamases foi realizada através do teste da cefalosporina cromogénica nitrocefina, sendo que o inóculo utilizado foi obtido do crescimento na zona limítrofe do halo de inibição em redor do disco de ampicilina 2 µg. Por fim, foi também realizada a deteção da proteína de ligação à penicilina 2a (PBP2a) através de teste imunocromatográfico.

Resultados

Foram utilizados 40 isolados clínicos de S. saprophyticus provenientes de amostras de urina, colhidas em regime de ambulatório, de doentes do sexo feminino, com idade média de 34,8 anos. 92,5% (n=37) das estirpes foram sensíveis e 7,5% (n=3) resistentes à ampicilina 2 µg, o que foi concordante com o resultado da deteção de β-lactamases através do teste da nitrocefina. Por outro lado, 100% (n=40) das estirpes foram sensíveis à cefoxitina 30 µg, o que foi igualmente concordante com a deteção da PBP2a.

Conclusões

Os resultados permitem concluir que, na amostra estudada, a resistência aos β-lactâmicos por inativação enzimática (produção de β-lactamases) permanece relativamente baixa e por alteração do alvo (produção de PBP2a) não foi detetada. Contudo, são necessários mais estudos para avaliar estes mecanismos de resistência como, por exemplo, estudos de correlação dos métodos fenotípicos com os métodos genotípicos, nomeadamente a pesquisa de genes da cassete estafilocócica cromossómica mec (SCCmec). A deteção destes mecanismos de resistência é fundamental para facilitar a seleção da terapêutica antimicrobiana mais apropriada.

 

Declaração de conflito de interesse: Os autores declaram não possuir conflitos de interesse.