PASTEURELLA MULTOCIDA– CONTRIBUIÇÃO DA ESPETROMETRIA DE MASSA PARA O DIAGNÓSTICO DE UMA ZOONOSE RARA

PASTEURELLA MULTOCIDA– CONTRIBUIÇÃO DA ESPETROMETRIA DE MASSA PARA O DIAGNÓSTICO DE UMA ZOONOSE RARA

Evento: SPPC 2021

Poster Número: 029

Autores e Afiliações:

Ana Ferreira, Rui Freitas, Marco Assunção, Paula Mota

Serviço de Patologia Clínica, Hospital Senhora da Oliveira, Guimarães

A Pasteurella multocida é um cocobacilo Gram-negativo anaeróbio facultativo presente na orofaringe de animais domésticos saudáveis, particularmente em gatos e cães1,2. No Homem, a infeção causada por este agente zoonótico surge habitualmente após mordedura ou arranhadela animal e pode resultar em celulite, abcesso subcutâneo ou sépsis3. Com este trabalho, pretendemos apresentar o caso clínico de um homem de 41 anos, que recorre ao SU do HSOG por febre com 3 dias de evolução que não cedeu à analgesia e ligeiro desconforto no membro inferior esquerdo. Sem outras queixas relevantes. Ao exame objetivo encontrava-se febril (38,6ºC), taquicárdico e com sinais inflamatórios (rubor e dor à palpação) na face lateral do membro inferior esquerdo que foram interpretados como celulite, pelo que iniciou terapêutica antibiótica. Analiticamente, sem leucocitose (6,5 x 109/L) e com elevação da PCR (24 mg/L). Restantes parâmetros analíticos normais. Colheu hemoculturas que positivaram em menos de 24h. O esfregaço de sangue periférico corado pelo método de Gram mostrou cocobacilos Gram negativos. No exame cultural, após 24 h de incubação, observou-se o crescimento de colónias grandes, acinzentadas, não hemolíticas, com morfologia de cocobacilos Gram negativos no meio de gelose sangue. Recorrendo à espetrofotometria de massa foi possível identificara estirpe de Pasteurella multocida no Sistema Vitek® MS (Biomérieux). O teste de sensibilidade aos antimicrobianos revelou uma estirpe multissensível (amoxicilina/AC, penicilina, cefotaxima, ciprofloxacina, levofloxacina e cotrimoxazol). O doente foi tratado com benzilpenicilina, por um período de 10 dias, com melhoria progressiva do quadro clínico. Apesar de o doente ter negado qualquer agressão animal, pelo menos que tivesse tido consciência, refere conviver com gatos no mesmo espaço habitacional. Neste contexto, será sempre importante ponderar as zoonoses nos processos infeciosos, nomeadamente as causadas pela Pasteurella multocida. Este caso em concreto realça não só a importância do Laboratório de Microbiologia, mas também da utilização da espetrometria de massa na identificação precoce de determinados agentes e, consequentemente, na instituição atempada da terapêutica adequada, crucial para a resolução do caso com sucesso. 

 

Keywords

Pasteurella multocida, zoonose, espetrometria de massa.